O solo fértil do Amor.

categoryAcolhimento, Empatia, Gratidão, Psicanálise
tagpsicanalise, psicologia

Aquele é um casal, com o qual convivo há alguns anos. É um casal comum , como tantos outros casais, se conheceram e se apaixonaram .

A paixão foi vivenciada e enaltecida durante os primeiros meses. Depois fizeram planos,  para viver juntos.

Aconteceu de tudo entre eles, coisas da vida… Porém foi possível, construir uma história, que contempla o amor.

No desafio diário, da convivência, tiveram  que desconstruir coisas: a idealização um do outro, a completude e a felicidade eterna.

Eles priorizaram a expressão das emoções (amor, afeto e cuidado) este foi um aspecto vital desta relação.

Evidentemente, aquele casal  se transformou ao longo dos anos, bem como a terra no ciclo das estações.

Viveram Primaveras bonitas de reflorescimento. Verões de temperaturas elevadas com frutificação. Outonos de renovações e ocaso. Invernos  frios de recolhimento e noites longas. No entanto, o objetivo de ambos foi amar. Mais do que isso, aquele casal,  estabeleceu o próprio jeito de Amar.

E assim,  arar o solo fértil que conheciam intimamente bem. Na minha opinião, o que realmente viveram foi o desafio, o risco e até a possibilidade de se perderem.

Amor na experiência direta, viva, contida na vida  e no cotidiano.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
E viveram tristes para sempre.
Próximo post
Transtornos Alimentares- Aula Hospital Israelita Albert Einstein
Menu